topo

CLÍNICA ORIGINARE - Medicina Reprodutiva

A Clínica Originare - Medicina Reprodutiva tem o propósito de oferecer aos pacientes o novo conceito em reprodução humana.
Além dos exames de dosagem hormonal (como FSH, LH, prolactina, TSH e outros), do hormônio antimülleriano (para estimar a reserva ovariana) e do ultrassom transvaginal, o médico pode solicitar outros mais específicos.
Procedimentos Complementares - Congelamento de Óvulos, Espermatozoides e Embriões.
Os avanços nas técnicas de Reprodução Humana permitem a preservação da fertilidade de homens e mulheres por meio do congelamento (ou criopreservação) dos gametas femininos (óvulos) e masculinos (espermatozoides) ou até mesmo de embriões, para uso futuro.
O congelamento de gametas ou embriões é indicado para pacientes com desejo reprodutivo, mas que por algum motivo desejam postergar essa decisão. A técnica não garante uma gestação, mas aumenta as possibilidades no futuro, caso a gravidez não ocorra de maneira natural e exista a necessidade do apoio dos tratamentos de Reprodução Assistida.
Confira, a seguir, como é realizado cada um dos procedimentos.
Tratamentos para engravidar - Fertilização In Vitro Clássica (FIV):
A Fertilização in Vitro (FIV) é um tratamento de Reprodução Assistida muito conhecido que foi realizado com sucesso pela primeira vez no final da década de 70. Desde então, ajuda milhares de casais que desejam ter filhos e não conseguem engravidar naturalmente.
A FIV é uma técnica que seleciona os melhores gametas femininos (óvulos) e masculinos (espermatozoides) para que sejam fecundados em laboratório, com a finalidade de gerar embriões saudáveis. Após o desenvolvimento dos embriões, estes são transferidos para o útero da mulher para que ela tenha a possibilidade de desenvolver sua própria gravidez, realizando assim o sonho da maternidade.
As taxas de sucesso de uma Fertilização in Vitro dependem de idade, reserva ovariana e condições do casal em geral.
Tratamentos Complementares - Oncofertilidade
Consiste na preservação da fertilidade de pacientes diagnosticados com algum tipo de câncer – homens ou mulheres em idade reprodutiva – e que desejam ter filhos biológicos futuramente.
Tratamentos como quimioterapia e radioterapia podem comprometer a fertilidade, levando à redução da reserva ovariana em mulheres e a diminuição ou parada total da produção dos espermatozoides em homens. Nestes casos, o congelamento de óvulos, espermatozoides ou embriões é uma opção, sempre com o aconselhamento de um especialista em Reprodução Assistida e o acompanhamento do oncologista.
O congelamento não garante uma gestação, mas possibilita a preservação da possibilidade de uma gravidez futura. A criopreservação é uma técnica complementar à Fertilização In Vitro (FIV) e permite ainda o congelamento de tecido ovariano e testicular para pacientes diagnosticados com câncer.
Reversão de Laqueadura -
A laqueadura é uma cirurgia que consiste no bloqueio das tubas uterinas, com o objetivo de impedir que a fecundação entre óvulo e espermatozoide aconteça. É realizada por mulheres férteis que de maneira voluntária não desejam mais ter filhos.
A reversão de laqueadura é um procedimento de recanalização das tubas uterinas, conhecido como reanastomose tubária, a fim de recuperar a fertilidade feminina.
Para quem é indicada - A reversão de laqueadura é recomendada somente para mulheres em idade fértil – menos de 35 anos – que passaram pela cirurgia de laqueadura e não tiveram suas tubas uterinas removidas por completo.
Além disso, a paciente deve ter como objetivo uma gestação natural, pois a reversão de laqueadura não é indicada para mulheres que desejam realizar técnicas de reprodução assistida. Para pacientes com mais de 35 anos que fizeram a laqueadura e desejam ter filhos, recomenda-se a procura por técnicas de reprodução assistida, pois as taxas de sucesso do procedimento diminuem muito após a idade fértil da mulher.
Tratamentos para engravidar - Transferência de embriões congelados -
No processo de Fertilização In Vitro (FIV), os embriões formados por óvulos e espermatozoides durante um tratamento podem ser transferidos a fresco para o útero da paciente, ou seja, no mesmo ciclo, ou podem ser congelados para que a transferência seja realizada em outra oportunidade.
Os embriões que serão criopreservados através da técnica de vitrificação são congelados, identificados e armazenados em tanque de nitrogênio líquido a uma temperatura de aproximadamente -196ºC, preservando a qualidade desses embriões.
Em momento oportuno, dependendo da avaliação e indicação de um especialista em Reprodução Assistida, os embriões podem ser descongelados e transferidos ao útero da paciente.
As técnicas de Fertilização In Vitro mostram-se há anos muito eficientes quanto à transferência de embriões a fresco. Atualmente, com a evolução da Medicina Reprodutiva, a transferência de embriões congelados passou a ser uma opção viável, com altas taxas de sucesso, favorecendo as pacientes.
Videolaparoscopia -
É uma técnica cirúrgica minimamente invasiva que permite a visualização, o diagnóstico e o tratamento de doenças que acometem a região pélvica e abdominal, e que podem tornar as mulheres inférteis.
A cirurgia ginecológica por videolaparoscopia apresenta alto nível de precisão e é responsável pelo tratamento de grande parte das doenças que levam à infertilidade feminina como, por exemplo: endometriose;
miomas uterinos; malformações uterinas; obstrução da tubas uterinas.
Doação de Óvulos -
A ovodoação é um tratamento indicado para as mulheres que desejam engravidar e não produzem mais óvulos em quantidade ou qualidade necessárias para possibilitar a gravidez.
O procedimento permite que mulheres doem seus óvulos para uma paciente receptora que não consegue engravidar com óvulos próprios.
Diversos fatores podem levar uma mulher a precisar da doação de óvulos para conseguir engravidar: de modo geral, a baixa reserva ovariana (devido à idade) é um dos principais motivos para indicação da ovodoação.
Conforme regulamentação do Conselho Federal de Medicina (CFM), a doação voluntária de gametas é permitida desde que seja anônima e sem fins lucrativos.
O tratamento de ovodoação na Clínica Originare segue as exigências e determinações do Conselho Federal de Medicina, sendo:
Doação Compartilhada - O tratamento é realizado para ajudar, ao mesmo tempo, dois casais a realizarem um tratamento de Reprodução Assistida.
A doação compartilhada é possível quando a mulher de um dos casais cumpre todos os critérios exigidos de uma doadora, mas por algum motivo, possui um fator de infertilidade que pode estar relacionado à própria doadora, ao parceiro, ou ao casal. Sendo assim, os óvulos dessa paciente são divididos igualmente entre o casal doador e receptor.
Na prática, as características físicas e tipagem sanguínea da doadora devem ser semelhantes às da receptora.
Doação Voluntária -
Independente do nome, todos os tipos de doação de óvulos deve ser voluntária. Neste caso, a mulher doadora realiza todo processo de estimulação ovariana, indução da ovulação e coleta de óvulos e doa todos os seus óvulos.
Histeroscopia -
A avaliação da cavidade uterina é muito importante para todo casal que está tentando engravidar naturalmente ou por meio de um tratamento de Reprodução Assistida.
Afinal, essa é a região dentro do útero onde acontece a implantação do embrião. Por isso, deve estar receptiva, sem nenhum impeditivo para que a gestação aconteça. Essa cavidade pode apresentar alterações como a presença de miomas, pólipos, sinéquias (cicatrizes) ou processo inflamatório, que podem dificultar a gravidez.
Além do ultrassom e da ressonância magnética, a avaliação da cavidade uterina pode ser feita pela histeroscopia, que pode ser diagnóstica ou cirúrgica, dependendo da avaliação individualizada da paciente.
Pesa e Mesa
Pesa e Mesa - São duas técnicas indicadas para a obtenção de espermatozoides em homens com azoospermia obstrutiva – quando há ausência de espermatozoides no sêmen devido a uma obstrução.
A azoospermia é uma condição rara, presente em 1% dos homens, no geral. E entre aqueles com infertilidade, entre 10% e 15% recebem esse diagnóstico.
A possibilidade para a maioria dos casos é a captação cirúrgica dos espermatozoides. PESA e MESA são duas dessas técnicas que apresentam altas taxas de sucesso, e que permitem aos portadores da doença gerar um filho com seu próprio material biológico, através da Fertilização In Vitro (FIV).
Reversão de Vasectomia -
A vasectomia é uma cirurgia geralmente realizada em homens com prole constituída, que não desejam ter mais filhos. Essa cirurgia é considerada um método contraceptivo definitivo, porém, ela não interrompe a produção de espermatozoides, que são produzidos nos testículos e armazenados no epidídimo.
O epidídimo é ligado à vesícula seminal por dois finos tubos chamados de canais deferentes (ductos deferentes), onde os espermatozoides são liberados no momento da ejaculação.
Na vasectomia, os canais deferentes são cortados, impedindo que os espermatozoides sejam ejaculados. Dessa forma, o paciente não poderá mais ter filhos, a não ser que se submeta à cirurgia de reversão de vasectomia, também chamada de anastomose.
O epidídimo é ligado à vesícula seminal por dois finos tubos chamados de canais deferentes (ductos deferentes), onde os espermatozoides são liberados no momento da ejaculação.
Na vasectomia, os canais deferentes são cortados, impedindo que os espermatozoides sejam ejaculados. Dessa forma, o paciente não poderá mais ter filhos, a não ser que se submeta à cirurgia de reversão de vasectomia, também chamada de anastomose.
Útero de Substituição -
Popularmente conhecido como “barriga de aluguel”, o útero de substituição ou cessão temporária de útero é uma técnica de Reprodução Assistida que consiste na utilização temporária do útero de uma mulher, que não é a mãe biológica, para gestar uma criança.
Por meio da Fertilização In Vitro (FIV) , é possível que a paciente utilize os seus próprios óvulos para a formação de embriões com os espermatozoides do parceiro e esses embriões sejam transferidos para o útero de outra mulher.
O Conselho Federal de Medicina (CFM) regulamentou o útero de substituição, determinando algumas condições:
A doação temporária não pode ter caráter lucrativo e nem comercial
A cedente temporária do útero deve pertencer à família de um dos parceiros em parentesco consanguíneo até o quarto grau
A cedente deverá ter menos de 50 anos de idade
De acordo com as regras do CFM, alguns documentos e observações médicas precisam constar no prontuário da paciente como, por exemplo, termo de consentimento assinado por todos os envolvidos, relatório médico com o perfil psicológico de todos, entre outros. Caso a mulher que vá ceder o útero seja casada, o consentimento do cônjuge também deve fazer parte do processo.
Biópsia Embrionária e Diagnóstico
Genético Pré-Implantacional -
A biópsia embrionária é um procedimento realizado nos embriões formados durante um tratamento de Fertilização In Vitro (FIV), que nos permite acessar as células desses embriões e, portanto, identificar possíveis alterações genéticas, antes da transferência embrionária.
Por meio da biópsia embrionária é possível realizar o teste genético pré-implantacional, que consiste na avaliação de doenças gênicas ou cromossômicas no embrião. Com isso, o especialista faz a seleção dos embriões antes da transferência para o útero materno.
Duplo estímulo (DuoStim) -
O DuoStim, ou a dupla estimulação da ovulação, é um dos protocolos de tratamento que pode ser utilizado durante o processo de Reprodução Assistida para aumentar as chances de gravidez.
As mulheres têm a capacidade de ovular, seja iniciando a estimulação da ovulação no período pós- menstrual, como também, em um período pós-ovulação. Ou seja, em um único mês é possível realizar duas estimulações da ovulação e duas coletas de óvulos.
Inseminação Artificial -
Também conhecida como inseminação intrauterina (IIU), é um dos tratamentos de reprodução assistida mais conhecidos no mundo.
A inseminação artificial é considerada um tratamento de baixa complexidade em que os espermatozoides são inseridos diretamente no interior do útero durante o período fértil da mulher, aumentando, assim, as chances de gestação.
Relação Sexual Programada (RSP) -
A Relação Sexual Programada (RSP), ou coito programado, é um tratamento que pode colaborar com as chances de gestação natural nos casos leves de infertilidade.
RSP sem indução da ovulação -
Baseada no cálculo do período fértil da mulher. O crescimento folicular da paciente é acompanhado por ultrassonografias seriadas, que determinam o momento da ovulação e, assim, o casal é orientado a manter relações sexuais durante este período.
RSP com indução da ovulação -
Ideal para mulheres que possuem distúrbios ovulatórios, sua etapa inicial é a estimulação ovariana feita através de medicamentos hormonais. Quando os folículos atingem o tamanho ideal (cerca de 18 mm), a paciente recebe uma dose do hormônio da gonadotrofina coriônica humana (HCG), que estimula a sua ovulação, resultando em um período ideal para que o casal mantenha relações sexuais. Todo o acompanhamento do desenvolvimento ovular é feito por meio de ultrassonografia transvaginal.
TESE e Micro-TESE -
Azoospermia, a ausência de espermatozoides no ejaculado, é o diagnóstico para 10% a 15% dos casos de infertilidade masculina. Ela pode ser obstrutiva, quando existe alguma alteração ou obstrução no trânsito dos espermatozoides; ou não-obstrutiva, quando há prejuízo na produção dos espermatozoides.
Quando a azoospermia é obstrutiva, o tratamento é feito com técnicas como PESA (punção aspirativa) e MESA (aspiração microcirúrgica). Já os casos de azoospermia não-obstrutiva exigem outros procedimentos, como explicaremos a seguir.
Varicocelectomia
A Varicocele é uma doença caracterizada pela dilatação das veias dos testículos, presente em 25% dos homens com alterações do espermograma, sendo a principal causa corrigível de infertilidade masculina.
Diferentes motivos para a infertilidade são associados à varicocele, entre eles, o aumento da temperatura do escroto causado pela alteração da circulação de sangue nos testículos.
Os testículos são localizados no escroto para ficarem a uma temperatura menor que a temperatura corpórea, situação ideal para melhor produção de espermatozoides.
A varicocelectomia é o procedimento cirúrgico para corrigir a doença, nos casos em que existe prejuízo à saúde reprodutiva masculina. Quando bem-sucedida, a cirurgia melhora os parâmetros seminais em cerca de 70% dos homens, elevando as chances de sucesso tanto de uma gestação natural como em tratamentos de Reprodução Assistida.


  (11) 3709-0900
Whatsapp da loja CLÍNICA ORIGINARE - Medicina Reprodutiva  (11) 3709-0902
Rua Joaquim Floriano, 413 - 7ºAndar -    + desta rua

FAVORITOS